Portal Ucraniano
Curiosidades da Ucrânia


Igor Ivanovich Sikorsky
(1889-1972)
Igor Sikorsky Monumento a Igor Sikorsky em Kiev
 
Igor Sikorsky, inventor do helicóptero nasceu na Ucrânia: Igor Ivanovich Sikorsky, nasceu em 26 de maio 1889, em Kiev, Ucrânia, na época império Russo. Ele era o caçula de cinco filhos. O pai de Sikorsky, um emigrante polones era professor de psicologia. A sua mãe, ucraniana, Maria Stefanovna Sikorskaya, era médica mas não exercia a profissão.

Em 1906, ele foi estudar em Paris, França, mas por um pequeno período. Em 1907, ele retornou à Ucrânia, matriculando-se no Instituto Politécnico de Kiev. Durante às férias do Instituto de 1908, Sikorsky foi com seu pai para Alemanha e lá decidiu estudar aviação, depois de ficar sabendo das experiências dos irmãos Wright. Recorrendo ao financiamento da sua irmã, Sikorsky regressou a Paris em 1909 para estudar aerodinâmica na escola de engenharia. Paris, naquela altura, era o centro da aviação na Europa. Sykorsky regressou a Kiev no mesmo ano e começou a efetuar experiências com máquinas voadoras.

Em 1919, devido a guerra, Sikorsky, muda-se para os Estados Unidos e começou a trabalhar como professor enquanto procurava por uma oportunidade para entrar na indústria aeronáutica.
Em 1923, ajudado por amigos, fundou a Sikorsky Aero Engineering Corporation. Em 1928, Sikorsky naturalizou-se Americano.




Ele conseguiu obter frutos em 14 de Setembro de 1939 quando teve o voo inaugural do Vought-Sikorsky 300, uma máquina com um rotor de três pás alimentado por um motor de 75 cavalos. O seu primeiro voo livre ocorreu a 13 de Maio de 1940.
Igor Sikorsky teve uma filha que nasceu no Império Russo e quatro filhos que nasceram nos Estados Unidos.

Sikorsky morreu em sua casa em Easton, Connecticut, em 26 de outubro de 1972, e foi sepultado no cemitério em Stratford. O seu filho mais velho, Sergei, continuou na liderança da empresa quando seu pai faleceu.
Fonte: www.oheliporto.com - www.sikorskyarchives.com



Kaye Lani Rafko
 
Miss Estados Unidos de 1987 é de origem ucraniana: Kaye Lani Rafko, foi eleita a mulher mais bonita dos Estados Unidos em 1987. Kaye Lani era enfermeira e tinha 24 anos e morava em Monroe, Michigan. Como prêmio que Kaye Lani ganhou, 30 mil dólares, ela empregou na continuidade dos seus estudos. Mas o importante é que ela declarou-se ucraniana, fato largamente divulgado pela imprensa americana na época.
Atualmente, Kaye Lani é casada com Charles Wilson e é mãe de três filhos e a Alana Rae Wilson, uma das filhas dela é lindíssima. Ela ainda é uma ativa palestrante e líder da sua comunidade.


(1934-2002)  
Canadá teve presidente de origem ucraniana: Ramon John Hnatyshyn, foi Governador-Geral do Canadá o equivalente a de presidente no Brasil. Ele era neto de ucranianos e governou o Canada entre os anos de 1990 e 1995.
Hnatyshyn, nasceu em Saskatchewan em 16 de março de 1934. Antes de ser eleito deputado, em 1974, ele serviu na Royal Canadian Air Cadetes. Em 1990 foi indicado pelo Parlamento Canadense para o cargo de Governador-Geral.
Em 1992, Hnatyshyn visitou a Ucrânia, país de seus avós e foi recebido como um herói. Após a saída do cargo de Governador-Geral, Hnatyshyn, retornou ao exercício da advocacia onde já havia trabalhado antes.
Em 2002, ele foi empossado como reitor da Universidade de Carleton, em Ottawa, no entanto, apenas dois meses depois, no dia 18 de dezembro, Hnatyshyn morreu aos 68 anos.


 
O dinheiro ucraniano eleito como a moeda mais bonita do mundo: Em um concurso realizado em 2008, o dinheiro ucraniano Hrivna foi escolhido como a cédula mais bonita do mundo. O concurso foi realizado na Suiça pelos especialistas do mundo financeiro, na reunião da comissão sobre a estética do banco Mundial (IFB).
Os especialistas analisaram 50 cédulas mais populares do mundo. Os critérios para a escolha da mais bela moeda foram não apenas a forma, as cores, os desenhos da moeda e a segurança mas também o sentido histórico das representações nos valores, as personalidades nos valores e a arte, especialmente a arquitetura.
Cinco cédulas mais belas do mundo:
- 1o Hrivna ucraniana
- 2o dólar australiano
- 3o euro (comunidade européia)
- 4o leão búlgaro
- 5o dólar americano      Fonte: Jornal Pracia


Vegreville - Alberta - Canadá  
A maior pêssanka do mundo: Além de ter-se tornado o centro da cultura Ucraniana, a província canadense de Alberta, cidade de Vegreville com 5.300 habitantes, tem mais um motivo para justificar a fama: a maior pêssanka do mundo.

Este ovo, tem nove metros de altura, decorado em tradicional estilo ucraniano, foi construído em 1975 para comemorar o centenário da fundação da Real Polícia Montada do Canadá em Alberta (embora não se possa ver a relação entre o ovo e a polícia).

A rainha Elizabeth e o Príncipe Phillip inauguraram a plaqueta junto ao ovo durante a sua visita em 1978. O festival ucraniano é realizado em Vegreville durante a primeira semana de Julho.


Interior de um supermercado moderno
No Brasil, supermercado da era moderna, praticamente começou com uma família ucraniana: Tudo começou no dia 1º de janeiro de 1914, com a carta que o Sr. Fortunato Paiva, proprietário do Café Globo, escreveu convidando e dando condições ao seu balconista, Pedro Demeterco, fosse sócio da empresa.

Já em 1918 o jovem Pedro, entusiasmado e trabalhando como nunca, compra a parte do Sr. Fortunato Paiva que então se aposentava. A condição do negócio era boa; o comprador pagaria ao vendedor com os lucros obtidos. Foi assim que Pedro pagou sua dívida.
Em 1923 o pequeno empresário começou a contar com a ajuda de seu filho José Luiz Demeterco que, na época, contava com 13 anos de idade. Assim se formava uma boa dupla que teve, mais tarde, o ingresso de José Luiz na sociedade lá por 1930.

Duas guerras mundiais se sucederam, época de crise, de tensão, de insegurança. O Armazém Demeterco, no entanto, a tudo suportava e ia criando uma imagem junto ao consumidor curitibano. Honestidade e preço baixo era a bandeira da empresa.

Em 1947, uma grande perda. Morre prematuramente Pedro Demeterco. O filho, movido por uma capacidade de trabalho fora do comum. Toca para a frente os negócios da família. Na época já era uma firma de conceito e de bom tamanho.

José Luiz era trabalhador e criativo. Volta e meia reformava ou melhorava o sistema de comercializar. Ouviu histórias de vendedores de outras praças, viajantes e amigos que visitaram os Estados Unidos no pós-guerra e contavam do sistema de auto-serviço que então estava tomando corpo e criando uma filosofia nova de vender gêneros alimentícios sem balconista. Essas histórias começaram a minar a cabeça desse empreendedor que, um dia, pegou um martelo e começou a derrubar as tradicionais vitrines, fazer gôndolas, cestinhas, transformando o velho armazém em auto-serviço.

Foi o primeiro no Paraná, o segundo no Brasil. E o nome dado ao supermerdado foi, Mercadorama.

Iniciava-se então uma nova era em termos de venda a varejo. Alguns anos atrás o supermercado foi vendido para um grupo português - SONAE.

Hoje, a família Demeterco, controla o Floripa Shopping em Santa Catarina, (com 89% de participação no capital).

Fonte: Revista Panorama, março de 1981
          Valor Online, novembro 2007.


Nomes masculino e feminino mais usado na Ucrânia:
Confira o ranking dos dez nomes de meninos e meninas mais bonitos e comuns na Ucrânia.
Meninos
1. Olexandr
2. Danylo
3. Maksym
4. Vladyslav
5. Mykyta
6. Artem
7. Ivan
8. Kyrylo
9. Ygor
10. Ilya
Meninas
1. Anastasia
2. Alina
3. Daria
4. Kateryna
5. Maria
6. Natalia
7. Sophia
8. Yulia
9. Victoria
10. Yelyzaveta
Sugestão: Dê um nome ucraniano ao seu filho é diferente e bonito.


 Stephen Timoshenko (1878-1972)  selo comemorativo Stephen Timoshenko Ucrânia: selo comemorativo - 1998  
Stephen Timoshenko - O Pai da Moderna Engenharia Mecânica: É autor de alguns dos principais livros sobre a teoria da elasticidade e resistência dos materiais. Seus livros foram traduzidos para 36 idiomas, e são mundialmente famosos e ainda são adotados em muitas universidades em todo o mundo.

Stephen Prokofievich Timoshenko, nasceu em 22 de dezembro de 1878, na aldeia de Shpotovka na região de Poltava, Ucrânia, (na época Império Russo).

Em 1896, ele concluiu o curso secundário na pequena cidade de Romy, (atual Sumy Oblast), seu colega de turma foi Abraão Ioffe, físico de renome mundial. Timoshenko continuou seus estudos universitários em São Petersburgo.
Ele se casou em 1902 com a estudante de medicina Alexandra Archangelskaya, eles tiveram três filhos: Gregory, Marina e Anna.

Em 1906, Timoshenko tornou-se professor no Instituto Politécnico de Kiev. Neste período foi muito produtivo com as experiências que ele fez. Foi nessa época que ele publicou a primeira versão de seu famoso livro, Resistência dos Materiais. Em 1911 ele criticou o governo e foi demitido. Timoshenko voltou para São Petersburgo onde trabalhou até 1918 quando voltou para terra natal, Ucrânia.





Em 1920, fugindo da guerra civil, Timoshenko mudou-se para Iugoslávia e se tornou professor do Instituto Politécnico de Zagreb. Em 1922 emigrou para os Estado Unidos, onde trabalhou para a Westinghouse Electric Company. Tornou-se professor na Universidade de Michigan em 1927 e na Universidade de Stanford em 1936.

Durante a sua carreira, Timoshenko recebeu inúmeras homenagens. Entre elas a criação da Medalha de Stephen Timoshenko, instituída pela, American Society of Mechanical Engineers. A Medalha Timoshenko é conferida anualmente para pesquisadores que se destacam no estudo e na contribuição da Mecânica Aplicada. Ele foi o primeiro ganhador desta medalha em 1957.

Em 1964 quando tinha 86 anos mudou-se para Wuppertal, na Alemanha, onde morava a sua filha Marina.

Timoshenko morreu em 29 de maio de 1972, com 93 anos de idade na casa de sua filha. Foi cremado e seus restos mortais foram levados para o Cemitério de Palo Alto, Califórnia, próximo ao túmulo de sua esposa.


Moradia construída pelo Homo sapiens nas estepes da Ucrânia há 15.000 mil anos de 5 metros diâmetro, estrutura de ossos de mamute, pesando 21 mil quilos e coberta por peles.
 
Casa de ossos de mamute na Ucrânia: Há 15.000 mil os habitantes das frias planícies da Ucrânia, moravam em casas de ossos e presas de mamute, que podiam ser bastante confortáveis: algumas tinha até lareira. A reprodução da casa está exposta no Museu de História Natural de Chicago, na exposição, Dentes, Presas e Poços de Piche. O nome parece estranho, mas faz algum sentido - a mostra permanente exibe fósseis de animais pré-históricos, na maior parte encontrados em reservas subterâneos de piche. A idéia é contar como a vida evoloiu desde a extinção dos dinossauros, há 66 milhões de anos, até os dias de hoje, passando pela própria origem do homem.

Fonte: Super Interessante Dez/1994





foto: russophilia.wordpress.com/about
 
Pão e Sal na Tradição Ucraniana: A maioria do grupos folclóricos ucranianos iniciam sua apresentações saudando o público com pão e sal. Mas será que todos sabem qual é o significado desta tradição? Será que todos sabem porque isto é tão importante para os ucranianos?
Desde os tempos antigos o pão sempre foi muito considerado pelo povo ucraniano. Para eles o pão é o alimento básico necessário para se viver. É um presente de Deus para o homem. Aos nossos ancestrais não era permitido comer o pão com a cabeça coberta, por exemplo, os homens tinham que tirar os chapéus. Não se permitia discutir, gritar ou praguejar enquanto se comia o pão ou enquanto se tivesse trabalhando com ele. O pão não podia ser jogado fora e quando era bento nenhuma migalha devia cair no chão, para não ser pisoteado.
O pão usado nos casamentos, KOROVAI, é um ritual santo de sacrifício que envolve a recordação dos sangrentos sacrifícios que eram oferecidos nos cultos pré-históricos. O KOROVAI era oferenda do casamento aos deuses para garantir felicidade e prosperidade ao jovem casal. E quando não era possível casar-se formalmente na igreja, os jovens casais usavam um cerimônia na qual eram abençoados através do pão.

Na Ucrânia o culto do pão é muito forte. É muito comum o uso do pão em rituais e cerimônias. Por exemplo, quando se visita alguém pela primeira vez ou em uma nova casa leva-se um pedaço de pão, o qual é oferecido aos anfritiões como presente, simbolizando votos de boa sorte e fortuna. Esta tradição de saudar pessoas importantes, respeitadas ou simplesmente amigas é muito antiga. Durante o Natal ou qualquer outro feriado santo costuma-se oferecer pão aos amigos. Ele é usado, geralmente, durante qualquer benção ou batizado de crianças pelos seus pais. Também nos funerais o pão é utilizado, coloca-se um pedaço no caixão para que o falecido tenha algo para comer durante sua última viagem.

O sal é usado com frequencia como um acompanhamento ao pão, nos rituais de bençao ou saudação. Acredita-se que o sal seja uma força protetora contra o mal. O sal nos costumes ucranianos é usado há centenas de anos atrás. Portanto, estas são as razões pelas quais a tradição de saudar pessoas importantes e expressar amizade e hospitalidade é muito significativo e apropriado no início de uma apresentação de danças folclóricas.


Márcia Paludazyszyn
Mê Rostemo - julho/1991



Pavlo Popovych
(1930-2009)
 
Pavló Popovych - Primeiro Cosmonauta Ucraniano: Pavlo Romanovych Popovych, mais conhecido com o nome russo Pavel, nasceu em Uzyn - Ucrânia, na época fazia parte da União Soviética, no dia 5 de Outubro de 1930.

Popovich foi o primeiro cosmonauta ucraniano a subir ao espaço, o 4º cosmonauta soviético. Ele comandou duas missões espaciais, a Vostok IV, em 1962 e a Soyuz 14, em 1974.
Em 1951, Popovich, graduou-se em engenharia civil por uma escola técnica em Magnitogorsk. E em 1952, graduou-se como piloto pela Escola de Aviação Militar de Stalingrado.

Popovich ingressou para a força aérea soviética em 1954. Em 1960, foi selecionado para o grupo de vinte pilotos que iriam treinar para serem os primeiros cosmonautas soviéticos. Foi considerado um dos mais fortes candidatos a fazer o primeiro voo espacial humano, mas no final foi realizado pelo colega de turma Yuri Gagarin.
Seu primeiro voo ao espaço, foi no dia 15 de agosto de 1962, pela Vostok 4.
Em 1964, foi trabalhar como cosmonauta-instrutor, e foi escolhido para comandar uma das missões à Lua, treinando para isso de 1966 até 1968, quando as missões à Lua foram canceladas por falta de verba.
Ocupando o cargo de cosmonauta-chefe de treinamento da Roscosmos, em 1972, foi designado para nova missão espacial, voltando ao espaço, pela segunda e última vez, em julho de 1974, como engenheiro de voo da Soyuz 14.
A partir de 1978, trabalhou na função de diretor do Centro de Treinamento de Cosmonautas Yuri Gagarin. Popovich saiu do programa espacial soviético em 1982 e se aposentou em 1993. Desde 1999 era Presidente da União dos Cosmonautas Ucranianos.
Durante os últimos anos, Popovych viveu na Criméia (sul da Ucrânia) e morreu no dia 29 de setembro de 2009, quando teve um acidente vascular cerebral (derrame).

Ele foi casado com Marina Popovich, uma oficial da Força Aérea soviética e tiveram duas filhas. Mais tarde, divorciado, casou-se com a Alevtina Oshegova.

Popovych passou quase 60 anos de sua vida morando em Moscou, mas nunca esqueceu a Ucrânia. Durante vários anos chefiou a Sociedade Slavutych da Cultura Ucraniana, e fez uma grande contribuição para a abertura do Centro de Cultura Ucraniano em Moscou. "Estou orgulhoso em ser ucraniano. Dirigindo-se ao público, eu sempre digo que eu sou o primeiro cosmonauta da Ucrânia", é assim que ele costumava falar com a imprensa.


Fonte: http://m24expert.blogspot.com.br


Leonid Denisovich Kizim
(1941-2010)
 
Leonid Kizim: Leonid Denisovich Kizim, foi um cosmonauta ucraniano, a serviço da Agência Espacial da extinta União Soviética.

Leonid Kizim nasceu em Krasnyi Lyman (Donetsk Oblast - Ucrânia), no dia 5 de Agosto de 1941. Foi selecionado como cosmonauta em 23 de Outubro de 1965 e formou-se em 1967.

Subiu ao espaço como comandante pela primeira vez em 1980, a bordo do foguete Soyuz T-3. Nessa missão teve de fazer consertos na estação MIR, no espaço, com auxilio da nave Saylut 6.

Em sua segunda missão como comandante, na nave Soyuz T-10, ficou por 8 meses no espaço, executando experiências na área da medicina espacial, astronomia e indústria espacial e a micro robótica.

Em 1986, realizou sua terceira missão de comando, agora da Soyuz T-15, quando ativou a nova MIR. Também foi sub-comandante da nave Soyuz T-2. Ficou, no total, 374 dias 17 horas e 56 minutos na estação espacial MIR, durante as quatro missões espaciais de que participou. Em uma de suas saídas da estação, permaneceu no espaço durante 31 horas consecutivas.
Kizim aposentou-se no dia 13 de Junho de 1987, após 32 anos de serviço junto à Agência Espacial Soviética. Em 2005 voltou para Ucrânia, seu país natal, onde desenvolveu atividades de assessoria junto a seu Governo na área espacial.

Leonid Kizim, morreu no dia 14 de junho de 2010 aos 68 anos de idade. Ele era casado e tinha dois filhos.